14 de ago de 2015

Nota de Despedida

Foto: Andreza Souza
Depois de todo tumulto que foi nossa conversa, depois de todo turbilhão de emoções que você provocou em mim, agora sozinha, finalmente "digeri" o que aconteceu. Repassei cada palavra que você disse, pensei e finalmente cheguei a uma conclusão: 
Meu amor, veja bem, antes de tudo quero que você saiba que eu não te quero mal, não te odeio pelo que você fez, mas quero que entenda que houve um tempo em que realmente o ódio era mais forte do que o amor que um dia senti. E olhe que você foi quem eu mais amei em toda minha vida, nunca me senti daquele jeito com outro alguém e suspeito que nunca mais me sentirei assim, e foi justamente isso que tornou o que você fez pior, quase imperdoável.  Mas mesmo assim te perdoei, muito antes de você me procurar, pois me dei conta que todo aquele ódio só fazia mal a mim mesma, eu estava sucumbindo na minha própria amargura e não tinha outro caminho a não ser o perdão. 
Confesso que não foi nada fácil, te perdoar enquanto eu sabia que você não tinha nenhum arrependimento pelo que havia feito, mesmo sabendo que você sequer olhou para trás quando seguiu em frente, nem ao menos quis saber como eu estava. Mas eu te perdoei, fiz isso porque era o melhor pra mim, eu era a única que revivia aquele passado,  já estava mais do que na hora de seguir em frente. 
Meu bem, eu acredito em cada palavra que você me disse hoje, sei que de fato se arrepende e sei que está disposto a ser alguém melhor. Infelizmente é tarde demais, agora não adianta mais  você se dar conta que tínhamos tudo para dar certo, que formávamos um par perfeito, que eu fui a melhor pessoa que você teve em sua vida, e que me deixar foi o maior erro que já cometeu. 
De fato, tudo era perfeito e eu realmente nunca entendi o porque de você ter ido embora. Mas você se foi, me deixando como única opção seguir em frente também. Aos poucos tudo que eu sentia por você foi se esvaindo, depois de um tempo não restou mais nada, nem amor, nem ódio. 
Me lembro de todos os momentos bons que passamos juntos, de todas as vezes que me fez sorrir, mas nenhuma dessas lembranças são suficientes pra me fazer olhar pra trás. Quero você entenda que eu não  te odeio, mas que também não adianta você procurar amor aonde ele não existe. 
Deixemos então as coisas assim, cada um segue com a sua vida. Sem ressentimentos, eu espero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário