12 de out de 2015

Notas sobre ela

Foto: Mayse Silva

Sempre foi exagerada, no bom e no mal sentido. Sempre foi dessas que mergulha de cabeça em tudo. Não importava o quê, ela sempre fechou os olhos e se jogou, torcendo para dar certo, para ter um voo sem turbulências e uma aterrizagem tranquila. Óbvio que quebrou a cara milhões de vezes, mas também já teve surpresas maravilhosas, claro que foram em minoria, mas são essas gotinhas de felicidade que a encoraja a peitar a vida.
Ela é dessas que ama demasiadamente, se dedica de forma incondicional aos seus: família, amigos, amores. Consegue ás vezes ser capaz de colocá-los antes de si, não exita em socorrer, só é péssima em consolar os outros, já que não consegue conter o choro se choram perto dela.
Tem o riso largo, fácil. Sorri sozinha, sorri até sem motivo ás vezes. Ela acredita que o sorriso é algo mágico, mesmo que nem sempre seja tão espontâneo e verdadeiro, mesmo que em algum momento não haja motivo para sorrir, ainda assim, para ele o riso é o que há de mais próximo da magia nesse mundo.
Ela tem um talento incomum para o drama. Faz tempestade em copo d'água, pra depois se afogar na própria tempestade.
Fria. Embora um pouco de calor humano amenize seu gelo. É que ela tem medo das pessoas, de seus espinhos, suas máscaras. Traumatizou depois dos danos que algumas pessoas lhe causaram. Então aos poucos construiu uma muralha em torno de si, não totalmente indestrutível, mas resistente o bastante para que ela se sinta segura. Mas ao mesmo tempo ela é sensível, tem uma alma leve, fácil de ser tocada.
Chora com tudo, por tudo: de alegria, dor, raiva... chora lendo livros, assistindo de filmes, séries, ouvindo histórias. Ela não vê o choro como algo tão ruim assim, nem sempre lágrimas significam derrota. Para ela o choro é uma fonte que limpa a alma, que expõe todas as turbulências,a deixa mais leve, descarrega todas as agruras do seu interior.
Para ela o local mais seguro do mundo é no meio de um abraço, daqueles bem apertados, que nem precisam de palavras para transmitir sentimentos. Ela gosta de abraços que por si só transbordam.
Nasceu com a alma livre, espírito solto, com gosto para aventuras. Apesar de ter o coração frágil, tem uma coragem de leão, e por mais estranho que pareça, a sua fragilidade é o que lhe torna ainda mais valente. Pois mesmo sabendo que o seu mundo de vidro pode desmoronar com um único passo em falso, ela não tem medo de se arriscar e vê-lo se despedaçando, mas sempre arruma forças para remontá-lo e mais uma vezes meter a cara e se permitir viver.
Ela aprendeu a viver com sua constante falta de equilíbrio, percebeu que as suas repentinas mudanças de humor não são um defeito. É quem ela é: inconstante, mas que isso não é necessariamente algo ruim. Sua facilidade em mudar seu estado de espírito tem suas vantagens, por exemplo: a permite esquecer as mágoas mais rápido, faz com que ela não mantenha esse peso dentro de si por muito tempo. O lado ruim é que ás vezes acorda de mal com a vida, esquece a simpatia e bom humor na cama, mas claro, não dura assim por muito tempo.
Ela é tão complexa quanto qualquer ser humano. Cheia de dilemas, conflitos, manias, paradoxos, manhas. Mas ainda assim tão simples com toda sua pequenez e fragilidade. Vive para amar, vive para viver. Um dia de cada vez, ou vários em um único minuto, com a graça de quem acredita que vida não é só o que os olhos veem, que é muito mais, e que é esse "mais" o que de fato move o mundo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário