5 de mar de 2016

Às vezes sou complicada, sabe?

Foto: Bruna Novaes

Sei que é pedir muito, mas queria que compreendesse minha existência complexa. Queria que fosse capaz de perdoar minhas manhas, birras e surtos sem motivos. Que conhecesse e entendesse meus traumas, meus medos, anseios. Que soubesse que meu problema não é com você, é com o mundo que só me ofereceu pedras. Nunca conheci as flores.

Eu já tentei  mudar, juro. Mas por um longo tempo esse meu jeito difícil foi meu único escudo para manter as pessoas afastadas, achava que eu fazia bem me isolando. Eu não entendia que decepções fazem parte da vida, não há como evitá-las, o melhor que podemos fazer é tirar lições delas, e seguir.

Mas não estou tentado afastar você, de jeito nenhum. Confesso que ainda sou insegura, ainda tenho medo do futuro, tenho medo das pessoas, tenho medo de quase tudo, na realidade. Mas quero você por perto, e talvez seja a minha insegurança que desperte meu instinto de auto proteção e me faça agir dessa forma. 

Eu também sou orgulhosa, nunca soube dar o braço a torcer, às vezes quando erro tenho vergonha de admitir e voltar atrás para me desculpar. Então quando eu agir de maneira estúpida e depois aparecer com voz mansa e "cara de quem não quer nada", não encare como cinismo, é meu jeito de me desculpar, ainda estou trabalhando com as palavras, você sabe que nunca fui boa em me com elas.

Tenho me sentido só, e sei que em parte, essa solidão é culpa do meu orgulho besta e das minhas atitudes impensadas. Te botei pra fora da minha vida, mas cá entre nós, você também não facilita. 

Já disse, sei que é pedir muito, mas quero que você consiga me entender e seja paciente, eu prometo que vou tentar mudar, se me der flores, se conseguir me fazer enxergar além das pedras e espinhos, pelo menos com você eu  vou tentar. Porque  eu sei que te quero por perto, e essa é uma das poucas certezas que tenho hoje. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário